Como montar um catálogo de tatuagens?

Uma das maiores dificuldades de profissionais que trabalham com tatuagens é montar um portfólio que seja bem recebido pelos possíveis novos clientes. Essa dificuldade, no entanto, é normal – muitos profissionais da área artística tendem a ter alguns problemas na hora de colocar o catálogo para rodar.

Mas não se preocupe, vamos explicar como transformar o seu catálogo de tatuagens em um sucesso entre os clientes.

Para a criação de um catálogo de tatuagens, é preciso considerar muitas variáveis: no momento mais técnico, levantamos o estilo de tatuagem que você trabalha e o grau de complexidade de cada trabalho como sendo diferenciais. Pensando agora numa questão mais visual, a disposição e qualidade das imagens também é fator determinante. Afinal, o trabalho de um tatuador é arte, e precisa ter qualidade ao ser mostrada para os atuais e possíveis clientes.

1. Considerando os diferentes estilos de tatuagem

Um ponto que não pode ser desconsiderado na hora de montar um catálogo de tatuagens são os diferentes estilos que você trabalhou durante sua carreira.Você trabalha apenas com um estilo específico ou possui mais de uma especialidade? Lembre-se de separar as tatuagens no catálogo por estilos – muitas vezes o possível cliente, que está analisando os possíveis tatuadores consideram aqueles que possuem uma certa experiência em estilos específicos, e essa pode ser a sua chance de mostrar uma quantia de bons trabalhos de estilos específicos!

2. Grau de complexidade de cada tatuagem

Outra coisa que precisa ser considerada ao criar um catálogo de tatuagens é a complexidade de cada desenho e execução de cada um deles. Iniciar um catálogo do menor para o maior grau de complexidade é uma boa opção. Assim, agradamos a gregos e troianos: conseguimos mostrar trabalhos mais simples para aqueles clientes que serão “menos ousados”, e apresentamos também uma gama mais organizada dos melhores trabalhos que foram feitos por você.

No caso de um estilo muito específico, é interessante manter um catálogo com uma maior quantidade de trabalhos de um alto grau de complexidade – os clientes que já procuram por estilos específicos tendem a buscar o melhor profissional entre eles, e essa é a sua oportunidade de mostrar o que realmente consegue fazer.

3. Cuidado com as fotografias

Um ponto muito importante é o cuidado na hora de tirar as fotos. Garanta que a câmera é de qualidade e que a iluminação do ambiente está favorável. Lembre-se que o trabalho de um tatuador, como dito anteriormente, é arte, e por isso precisa ser muito bem representado.

4. A disposição das fotos dentro do catálogo de tatuagens

Com fotos de qualidade em mãos e separadas por estilo e grau de complexidade, é hora de montar o catálogo de tatuagens. Uma recomendação é que não coloque muitas imagens na mesma página. Pensando na quantidade de cores envolvida em cada uma das fotos, quando colocamos imagens demais no mesmo documento, acabamos sobrecarregando aquele material, dividindo muito a atenção do leitor. Considere a disposição de poucas imagens por página, sempre considerando uma margem de respiro entre uma e outra para ter a certeza de que o leitor conseguirá absorver o máximo de informação de cada imagem que apresenta.

Criar um catálogo de tatuagens parece algo difícil, mas pode ser mais simples do que se imagina. Basta garantir que as fotos tenham qualidade e estejam categoricamente organizadas para ter sucesso!

Tem alguma dúvida? Não deixe de comentar!

banner-ebook-2
Recent Posts