Tatuagem para terceira idade: quais são os cuidados e técnicas?

Embora a tatuagem seja realizada principalmente pelos jovens, isso não significa que ela esteja restrita a essa faixa etária. Pelo contrário: a tatuagem para terceira idade é uma prática que está ganhando cada vez mais adeptos!

Hoje, é muito comum encontrarmos pessoas com mais de 60 anos frequentando os estúdios de tatuagem. No entanto, ainda que não exista uma idade específica para se tatuar, é necessário que o idoso e o próprio tatuador tomem alguns cuidados importantes para essa idade.

Quer se preparar para lidar com esse público no seu estúdio? Confira algumas dicas que úteis para tatuar a pele na terceira idade!

Quais cuidados ter antes de fazer a tatuagem?

Após os 60 anos, é natural que a pele perca o colágeno e outras substâncias, comprometendo sua estrutura e manutenção. Com isso, a própria fragilidade pode ser um obstáculo na hora de aplicar a tatuagem, além de proporcionar mais dor e possíveis sangramentos.

Por outro lado, antes de realizar qualquer procedimento, é essencial que o tatuador recomende uma visita ao dermatologista, a fim de averiguar se existe algum histórico de doenças ou alergias na pele, assim como outros cuidados que podem ser específicos para o idoso.

Quais são as técnicas de tatuagem para terceira idade?

Como já falamos, a pele envelhecida é menos flexível e, assim, demora um pouco mais para cicatrizar. Nessa idade, manter a tatuagem pode ser mais difícil, mas não impossível! Por isso, leve em consideração as técnicas e produtos existentes no mercado para esse público.

Para o tatuador, é interessante estudar bastante o desenho antes de aplicá-lo, utilizando a paleta de cores com inteligência. Vale lembrar que a escolha do local também faz toda a diferença, evitando assim lugares que ficam muito expostos ao sol ou que já estão muito flácidos.

Quais cuidados ter após a tatuagem?

Quando realizada em idosos, a tatuagem tem um processo de cicatrização maior. Contudo, existem alguns produtos pós-procedimentos que podem ajudar nessas horas. As pomadas que são indicadas para otimizar esse processo são bem-vindas, mas é importante orientar que o uso constante e exagerado não é indicado, já que pode retirar a tinta da tatuagem.

O uso do sabão antibacteriano e protetor solar também são essenciais, considerando a fragilidade da própria pele na terceira idade. Lembre-se de que o corpo fica mais ressecado após os 60 anos e utilizar hidratantes faz toda a diferença para uma boa recuperação.

Por que escolher tatuadores confiáveis?

Parece óbvio, mas a pele dos idosos necessita de todo cuidado possível. O surgimento de doenças ou possíveis ferimentos é maior na terceira idade, sendo extremamente necessário procurar tatuadores que utilizam equipamentos descartáveis e esterilizados, especialmente as agulhas.

Uma boa sugestão é buscar aprimoramento nessa área de tatuagens para pessoas mais velhas — por meio de cursos profissionalizantes, por exemplo.

Como mostramos, tatuar a pele na terceira idade é um prática cada vez mais comum. Por isso, conhecer as técnicas e cuidados necessários é indispensável para a realização de um bom trabalho!

E você, se lembrou de outras dicas ou tem alguma experiência para compartilhar? Conte pra gente aqui nos comentários e compartilhe seus conhecimentos com nossos leitores!

banner-ebook-2
Recent Posts